.Video!

Terça-feira, 16 de Dezembro de 2008

Cyberbullying ou bullying virtual - Agressão virtual entre crianças e adolescentes

Agressão marcante

 

 

 

O bullying, a violência física e psicológica entre crianças e adolescentes nas escolas, também ocorre na internet. Pesquisadora afirma que a agressão virtual pode até ser mais grave que a real

Bullying é o nome técnico para uma forma específica de violência disseminada nas escolas do mundo todo. A prática vai desde os tapas de um grandão num garoto mais fraco durante o recreio ao uso de apelidos maldosos para chamar os colegas. A pesquisadora e educadora Cleo Fante, autora do livro Fenômeno Bullying, acredita que as agressões escolares não só estão mais freqüentes como também se espalharam pela internet e pelos celulares.

 

 

 

 

O bullying tem crescido nos últimos anos?
Sim, o fenômeno vem crescendo em todo o mundo. Quando iniciei os estudos sobre o tema, em 2000, a média mundial era de 7% a 24% de envolvidos. Hoje, a média é de 5% a 35%. No Brasil, não é diferente, os índices são elevados. Em nossos estudos, com um grupo de 2000 alunos, na região de S. José do Rio Preto, encontramos 49% de envolvidos. Desses, 22% foram considerados vítimas, 15% agressores e 12% vítimas agressoras (aquelas que reproduzem os maus-tratos recebidos). Caso as escolas não adotem medidas preventivas, o fenômeno pode expandir cada vez mais. Isso se justifica pelo fato de que muitas vítimas reproduzem os maus-tratos sofridos. Muitos agressores também acabam se tornando vítimas, num ciclo vicioso de vitimização.

Por que o bullying é tão comum?

 

 

 

Realmente o bullying é praticado em 100% das escolas de todo o mundo. Na maioria das vezes, ele é visto como brincadeira própria do amadurecimento da criança. Devido a essa interpretação equivocada é que a prática vem se alastrando cada vez mais. Por outro lado, não devemos generalizar e creditar ao bullying todas as situações que ocorrem dentro e fora da escola, ou de forma virtual. Primeiramente, temos que conhecer o fenômeno e saber diferenciá-lo das brincadeiras próprias da idade.

E o cyberbullying, a versão virtual do bullying? Acontece muito?

É difícil quantificar essa forma de violência, pois a todo momento alguém é vítima de cyberbullying no mundo. Isso se justifica pela facilidade de acesso às ferramentas disponíveis nos modernos meios de comunicação, especialmente internet e celulares. As tecnologias estão cada vez mais sofisticadas, o que facilita a proliferação do fenômeno e dificulta a identificação dos autores.

 

 

 

 

 

 

 

A internet (por meio de messenger, e-mail, Orkut) possibilita que as agressões sejam feitas anonimamente, ou que o praticante de bullying esconda sua identidade com apelidos. Isso faz com que eles se sintam mais livres para importunar os outros?

Sim, a forma virtual é mais fácil de ser empregada do que as demais (física, verbal, sexual, material, psicológica), pois basta um toque na tecla “enviar” para que os ataques se tornem reais. Tudo pode ser feito de forma anônima. Na escola, a identificação é mais fácil.

 

As conseqüências do bullying virtual podem ser tão graves quanto às do bullying escolar?

 

 

Sem dúvida. Dependendo do grau de intensidade, as conseqüências podem incidir na saúde física, mental e na aprendizagem. Na Inglaterra, essa forma de praticar bullying foi responsável pelo suicídio de alguns adolescentes. Se na “vida real”, onde os agressores são identificados, é difícil dar um basta às situações de maus-tratos, imagine no espaço virtual, onde difamações, ameaças, intrigas e fofocas são espalhadas em rede mundial.

A vítima típica do bullying escolar é a mesma do cyberbullying?

Nem sempre. Muitos alunos que não possuem perfil de “bode expiatório” estão sendo alvos, além de professores, coordenadores e diretores de escolas. Qualquer um de nós pode se tornar vítima de ataques virtuais e se deparar com fotografias montadas, piadinhas, comentários sexistas ou racistas sobre nossa própria intimidade.

 

 

 

Existem maneiras de os pais perceberem se o filho é vítima ou até praticante do bullying virtual?

Recomendo que os pais fiquem atentos quanto ao comportamento dos filhos, durante e após o uso dos computadores e dos aparelhos de comunicação fixos e móveis. É necessário dialogar abertamente e refletir sobre o uso irresponsável dessas tecnologias de informação e comunicação.

Como se deve resolver o problema?

A escola, muitas vezes, não é o palco direto dessa forma de ataque, mas é um espaço que favorece a continuidade dos maus-tratos. Nesse sentido, recomendo que especialistas no assunto discutam com os profissionais da escola e com os alunos, encontrando maneiras de prevenir o bullying em suas diversas formas. O objetivo é melhorar a qualidade das relações pessoais e de ensino e aprendizagem.

 

 

 

 

 

Fonte: Revista Época

postado por: Filipa
publicado por anti-bullying às 22:44
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 15 de Dezembro de 2008

Bullying

 

O que é o Bullying?
O bullying simboliza todas as formas de atitude agressivas, intencionais e repetidas, que ocorrem sem motivação evidente, realizadas por uma ou mais pessoas contra outras, causando dor, medo, e angústia entre muitas outras coisas.
 
Algumas acções de bullying:
-ofender;
-gozar;
-humilhar;
-fazer sofrer;
-discriminar;
-ignorar;
-intimidar;
-perseguir;
-assediar;
-aterrorizar;
-agredir;
-bater;
-empurrar;
-roubar.
 
Que tipos de bullying existem?
Existem dois tipos de bullying - o bullying físico e o bullying psicológico. Estes dois tipos estão dentro do chamado bullying directo que é aquele em que o bully (aquele que pratica bullying) ataca a vítima estando presente em frente à mesma. Já dentro do bullying indirecto, que é aquele em que o bully ataca a vítima por outros meios, como por exemplo, espalhando boatos negativos sobre a mesma, só está o bullying psicológico.
 
Outros tipos de bullying:
-bullying físico;
-bullying verbal;
-bullying escrito;
-bullying emocional;
-bullying sexual;
-cyberbullying.
 
Onde ocorre o bullying?
O bullying ocorre em toda e qualquer escola. Também pode ocorrer no trabalho, na vizinhaça, na política…
Não sei se a nossa escola é das mais efectadas, mas que existe bullying podemos ter a certeza, mas achamos que todos devem estar alerta, pois o bullying é um problema grave na escola, que pode levar por exemplo, à depressão, à perda de auto-estima e, em última instância, ao suicídio, conhecido por bullycide.
 
Quais são as consequências do bullying sobre o ambiente escolar?
Quando não há intervenções efectivas contra o bullying, o ambiente escolar torna-se totalmente contaminado. Todas as crianças ou adolescentes, sem excepção, são afectadas negativamente, passado a experimentar sentimentos de ansiedade e medo. Alguns alunos, que testemunham as situações de bullying, quando percebem que o comportamento agressivo não traz nenhuma consequência a quem o pratica, poderão achar por bem adoptá-lo. Todos os alunos têm o direito de se sentirem seguros quando vão para a escola, infelizmente não é o que acontece.
 
De que maneira os alunos se envolvem com o bullying?
Alvos de bullying- são os que sofrem bullying;
Autores de bullying- são os que praticam bullying;
Testemunhas de bullying- são os que não sofrem nem praticam bullying, mas convivem num ambiente onde isso acorre.
 
 
O bullying envolve muita gente?
Os rapazes, com maior frequência, estão mais envolvidos com o bullying, enquanto autores ou como alvos.
Já entre as raparigas, isso ocorre com menor frequência. O bullying também ocorre e se caracteriza, principalmente, como prática de exclusão ou difamação.
 
Quais são as possíveis consequências de bullying?
O bullying pode provocar danos morais e físicos nas vítimas. Estas podem entrar em depressão e/ou contrair diversas doenças.       
 
 
 
 
 
 
O que é o Bullying?
O bullying simboliza todas as formas de atitude agressivas, intencionais e repetidas, que ocorrem sem motivação evidente, realizadas por uma ou mais pessoas contra outras, causando dor, medo, e angústia entre muitas outras coisas.
 
Algumas acções de bullying:
-ofender;
-gozar;
-humilhar;
-fazer sofrer;
-discriminar;
-ignorar;
-intimidar;
-perseguir;
-assediar;
-aterrorizar;
-agredir;
-bater;
-empurrar;
-roubar.
 
Que tipos de bullying existem?
Existem dois tipos de bullying - o bullying físico e o bullying psicológico. Estes dois tipos estão dentro do chamado bullying directo que é aquele em que o bully (aquele que pratica bullying) ataca a vítima estando presente em frente à mesma. Já dentro do bullying indirecto, que é aquele em que o bully ataca a vítima por outros meios, como por exemplo, espalhando boatos negativos sobre a mesma, só está o bullying psicológico.
 
Outros tipos de bullying:
-bullying físico;
-bullying verbal;
-bullying escrito;
-bullying emocional;
-bullying sexual;
-cyberbullying.
 
Onde ocorre o bullying?
O bullying ocorre em toda e qualquer escola. Também pode ocorrer no trabalho, na vizinhaça, na política…
Não sei se a nossa escola é das mais efectadas, mas que existe bullying podemos ter a certeza, mas achamos que todos devem estar alerta, pois o bullying é um problema grave na escola, que pode levar por exemplo, à depressão, à perda de auto-estima e, em última instância, ao suicídio, conhecido por bullycide.
 
Quais são as consequências do bullying sobre o ambiente escolar?
Quando não há intervenções efectivas contra o bullying, o ambiente escolar torna-se totalmente contaminado. Todas as crianças ou adolescentes, sem excepção, são afectadas negativamente, passado a experimentar sentimentos de ansiedade e medo. Alguns alunos, que testemunham as situações de bullying, quando percebem que o comportamento agressivo não traz nenhuma consequência a quem o pratica, poderão achar por bem adoptá-lo. Todos os alunos têm o direito de se sentirem seguros quando vão para a escola, infelizmente não é o que acontece.
 
De que maneira os alunos se envolvem com o bullying?
Alvos de bullying- são os que sofrem bullying;
Autores de bullying- são os que praticam bullying;
Testemunhas de bullying- são os que não sofrem nem praticam bullying, mas convivem num ambiente onde isso acorre.
 
 
O bullying envolve muita gente?
Os rapazes, com maior frequência, estão mais envolvidos com o bullying, enquanto autores ou como alvos.
Já entre as raparigas, isso ocorre com menor frequência. O bullying também ocorre e se caracteriza, principalmente, como prática de exclusão ou difamação.
 
Quais são as possíveis consequências de bullying?
O bullying pode provocar danos morais e físicos nas vítimas. Estas podem entrar em depressão e/ou contrair diversas doenças.
 
 

Trabalho realizado por:Ana Rita 8ºB Nº2

postado por: Filipa
publicado por anti-bullying às 19:11
link do post | comentar | favorito
Sábado, 13 de Dezembro de 2008

...

 

 
As principais formas de maus-tratos:
 
·         Físico (bater, chutar, beliscar).
·         Verbal (apelidar, xingar, zoar).
·         Moral (difamar, caluniar, discriminar).
·         Sexual (abusar, assediar, insinuar).
·         Psicológico (intimidar, ameaçar, perseguir).
·         Material (furtar, roubar, destroçar pertences).
·         Virtual (zoar, discriminar, difamar, por meio da internet e celular).
 
 
Sinais de que seu filho é vítima de bullying:
·         Apresenta com frequência desculpas para faltar às aulas ou indisposições como dores de cabeça, de estômago, diarreias, vómitos antes de ir à escola.
·         Pede para mudar de sala ou de escola, sem apresentar motivos convincentes.
·         Apresenta desmotivação com os estudos, queda do rendimento escolar e dificuldades de concentração e aprendizagem.
·         Volta da escola irritado ou triste, machucado, com as roupas ou materiais sujos ou danificados.
·         Apresenta aspecto contrariado, deprimido, aflito, ou tem medo de voltar sozinho da escola.
·         Possui dificuldades de relacionar-se com os colegas e fazer amizades.
·         Vive isolado no seu mundo e não querer contacto com outras pessoas que não façam parte da família.
 
O que fazer se o seu filho pratica bullying:
·         Observe atentamente o comportamento e os sentimentos expressos pela criança.
·         Mantenha tranquilidade e calma. Converse, objectivando encontrar os motivos que o levam a agir desta maneira.
·         Reflicta sobre o modelo educativo que está a oferecer ao seu filho.
·         Evite bater ou aplicar castigos demasiadamente severos. Isso só poderá promover raiva e ressentimentos. Procure profissionais que possam auxiliá-lo a lidar com esse tipo de comportamento.
·         Dê segurança e amor.
·         Incentive a mudança de atitudes. Um bom começo é pedir desculpas e deixar a vítima em paz.
·         Não ignore o facto ou encontre desculpas para as suas atitudes. Lembre-se que com o tempo esse comportamento pode conduzir a uma vida delinquente e infeliz.
·         Procure a direcção da escola ou ajuda de um profissional.
·         Participe em projectos solidários propostos pela escola e incentive seu filho a participar.
 
publicado por anti-bullying às 22:14
link do post | comentar | favorito

algumas dicas para reduzirem o bulllying dentro das escolas!

 

Dicas para reduzir o bullying dentro das escolas:
 
          Desde o primeiro dia de aulas, avisem os alunos que não será tolerado bullying no recinto da escola. Todos devem comprometer-se com isso: não o praticando e avisando a direcção sempre que ocorrer um facto dessa natureza.  
 
·         Promovam debates sobre bullying nas aulas, fazendo com que o assunto seja bastante divulgado e assimilado pelos alunos.
 
·         Estimulem os estudantes a fazerem pesquisas sobre o tema na escola, para saber o que alunos, professores e funcionários pensam sobre o bullying e como acham que se deve lidar com esse assunto.
 
·         Convoquem assembleias, promovam reuniões ou afixem cartazes, para que os resultados da pesquisa possam ser apresentados a todos os alunos.
 
·         Facultem a oportunidade de que os próprios alunos criem regras de disciplina para as suas próprias aulas. Essas regras, depois, devem ser comparadas com as regras gerais da escola, para que não haja incoerências.
 
·         Da mesma maneira, permitam que os alunos procurem soluções capazes de modificar o comportamento e o ambiente.
 
·         Sempre que ocorrer alguma situação de bullying, procurem lidar com ela directamente, investigando os factos, conversando com autores e alvos. Quando ocorrerem situações relacionadas a uma causa específica, tentem trabalhar objectivamente essa questão, talvez por meio de algum projecto que aborde o tema. Evitem, no entanto, focalizar alguma criança em particular.
 
·         Nos casos de ocorrência de bullying, conversem com os alunos envolvidos e digam-lhes que os seus pais serão chamados para que tomem consciência do ocorrido e participem juntamente com a escola na procura de soluções.
 
·         Interfiram directamente nos grupos, sempre que isso for necessário para quebrar a dinâmica de bullying. Façam os alunos sentarem-se em lugares previamente indicados, mantendo afastados possíveis autores de bullying dos seus alvos.
 
·         Conversem com a turma sobre o assunto, discutindo sobre a necessidade de se respeitarem as diferenças de cada um. Reflictam com eles sobre como deveria ser uma escola onde todos se sentissem felizes, seguros e respeitados
 
 
 
 

 

publicado por anti-bullying às 22:11
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 11 de Dezembro de 2008

Anti-Bullying

    Anti-bullying

    Bullying é um comportamento não tolerado por Escolas Públicas ou Privadas

     Bullying pode acontecer em qualquer lugar: na escola, em equipas desportivas, entre vizinhos.

     Bullying pode assumir diversas formas, incluindo: dando aspecto desagradável, fazendo gestos rudes, chamando nomes, sendo rude e grosseiro, espalhar boatos e histórias e provocando.

                 este comportamento pode incluir:

·       Mantendo alguém fora de um grupo

·         Agindo de uma maneira desagradável perto de alguém

·         Mucking sobre alguém que vai longe demais

·          Assédio ou qualquer forma de discriminação baseada na deficiência, sexo, raça ou religião.


       Magoar alguém fisicamente é uma forma de assédio moral.

.   Cada escola pública tem a sua própria política que inclui a disciplina de códigos de conduta para garantir que os estudantes são livres de assédio e intimidação.

    Nós acreditamos que os estudantes têm o direito de estar seguros e felizes na escola.

n ossas escolas têm políticas anti-bullying no local para lidar com o bullying célere e eficaz, envolvendo mediação, as medidas disciplinares, os avisos, as competências sociais programas, consultoria e participação dos pais.

 

  Quando dirigentes estudantis trabalham para apoiar iniciativas anti-bullying, há uma série de vantagens

P             por exemplo:

·          Proporciona oportunidades para o intercâmbio de ideias entre estudantes e dirigentes estudantis

·         A Aprendizagem proporciona experiências que envolvam os alunos e que são pertinentes para as suas necessidades

·          Habilita os estudantes a aprender e praticar habilidades de tomada de decisão.

postado por: Filipa
autora: Rodolfo Santos 8ºB
publicado por anti-bullying às 21:12
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 10 de Dezembro de 2008

Nem sempre os maiores são os piores!!!!!

 

Nem sempre maiores, mais velhos e mais forte:
Para além da diferença óbvia de, contrariamente ao bullying presencial, o cyberbullying ocorre através das tecnologias de informação e comunicação (TIC), uma destinação importante é que no cyberbullying, a bully não precisa de ser maior ou mais fortes que as suas vítimas. Este aspecto escapou também a Eduardo Sá, o conhecido psicólogo convidado a um programa, ao responder á primeira pergunta que lhe é colocada, sobre o que o motivo os potências agressores. De facto enquanto no bullying presencial a vítima é geralmente mais nova ou mais fraca – física e psicologicamente - que o agressor, no cyberbullying nem sempre é assim!
 
postado por: Filipa
publicado por anti-bullying às 01:29
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 9 de Dezembro de 2008

Indicações como apoiar um criança vítima de bullying?

 

Como apoiar uma criança vítima de bullying?
Saber que uma criança está a ser intimidada pode ser perturbador.
No entanto, deverá tentar manter a calma, já que reagir com a impulsividade, como por exemplo, invadir a escola para pedir uma explicação poderá ser o pior a fazer. È importante que pense que, tal como aconteceu consigo, também a escola pode não saber de nada a cerca da situação de intimidação, facto que não invalida que converse com os responsáveis, exija responsabilidades e encontrem uma intervenção integrada. 
Assim poderá apoiar da seguinte forma:
- Peça á criança para lhe contar exactamente o que aconteceu e anote quem esteve envolvido, onde, quando e quantas vezes aconteceu.
- Diga á criança que ela agiu correctamente ao contar-lhe o sucedido.
- Acredite em tudo aquilo que lhe conta.
- Explique-lhe que a situação de intimidação não pode ser mantida em segredo, garantir-lhe que vai ajudá-la a resolver o problema.
- Diga-lhe que ela não é culpada pelo sucedido.
- Exercite técnicas de auto-protecção com a criança, como, por exemplo dizer “Não” firmemente e ir-se embora.
postado por: Filipa
publicado por anti-bullying às 23:16
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.posts recentes

. Cyberbullying ou bullying...

. Bullying

. ...

. algumas dicas para reduzi...

. Anti-Bullying

. Nem sempre os maiores são...

. Indicações como apoiar um...

. Alguns tipos de bullying!

. História baseada na reali...

. Que queremos com este blo...

.arquivos

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

Link-Me